Estás en:

A vida nova-iorquina captada desde o assento de condutor de um táxi

A vida como condutor de um táxi é intensa, mais ainda em uma cidade grande, e especialmente se essa cidade é Nova York. Ryan Weideman fotografou-a durante quarenta anos, plasmando também as mudanças que se produziam no seu meio.

weideman-taxi-sexy

Rubi Dubi Do, 1982

Quando ele chegou à cidade em 1980, depois de graduarse no Califórnia College of Arts & Crafts, não pretendia conduzir um táxi as próximas décadas, mas os 300 dólares que levava no bolso não eram suficientes para viver e teve que se procurar outro médio de subsistencia. Foi bem como ele chegou ao táxi, sem renunciar a fazer street photography, o objetivo que lhe tinha levado, em um primeiro momento, à cidade dos arranha-céus.

weideman-autorretrato

Autorretrato no assento de condutor do seu táxi

As suas fotografias, de reconhecido prestígio, percorrem agora o mundo da mão da Bruce Silverstein Gallery e recentemente têm estado expostas no Centro Espronceda de Barcelona.

Para além de fotografar pessoas em um táxi, ele captou a evolução de uma cidade com uma intensa vida festiva, de negócios e cultural, em décadas de grandes mudanças.

weideman-taxi-punk

weideman-taxi-serpientes

Alguma dos episódios de Weideman inclui serpentes

Em ocasiões, o próprio taxista é protagonista ou coprotagonista.

weideman-taxi-timida

Mas informação: Ryan Weideman en la Bruce Silverstain Gallery

Tempo de produçãoGarantiaEntregaHofmann Garantia de QualidadeRespostas Hofmann

Uso de cookies

Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar la experiencia de navegación y ofrecer contenidos y publicidad de interés. Al continuar con la navegación entendemos que se acepta nuestrapolítica de cookies. Aceptar